sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Homenagem a Rui Pato


Durante sete anos, sete discos num total de 41 temas, Rui Pato acompanhou à viola Adriano Correia de Oliveira.

São esses 41 temas que podemos ouvir neste vídeo.


terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Vieira da Silva - Em jeito de bilhete postal

Em 14 de Abril de 1997 foi realizado em Coimbra, no Teatro Académico Gil Vicente, um espectáculo de homenagem a ADRIANO CORREIA DE OLIVEIRA e foi publicado este livro com textos de vários Amigos do Adriano.

Colaborei com este breve texto:

Em jeito de bilhete-postal ...

E, no entanto, apesar de abril, é urgente ouvir a tua voz. Para lá da inevitável distância que, por momentos, nos separa. Com a tua teimosia de gritar a liberdade sem fronteiras. Contra o saudosismo inerte dos que se rendem ao sossego das homenagens sem futuro. Na recusa permanente dos limites inventados por aqueles que desistem de lutar por madrugadas impossíveis.

Porque só contigo saberemos rasgar este mar de pequenas angústias que se vão somando inexoravelmente junto ao cais vazio deste país. Para que de novo nos ergamos na certeza de cantarmos as mesmas canções de raiva e de alegria pelos caminhos de todos os dias. Na certeza reencontrada de que todos juntos iremos desenhar o espaço aberto que sempre sonhámos sem muralhas.

Ainda que te pareça que talvez seja demasiado tarde para reacender a chama adormecida na memória de todos os que inquietaste, viemos aqui dizer-te que são horas de recomeçar a viagem. Não se trata de romagem de saudade ou de pretexto para revivalismos sem sentido. Estamos aqui. Unidos pelas canções e pelos gestos de coragem que generosamente nos deixaste em cada momento.

Não nos faças esperar.

E, sobretudo, não te desculpes com a morte.

Vieira da Silva
1997

As Balas

Manuel da Fonseca

"Escrevo porque sou do contra"

Ao vivo na RTP, Adriano Correia de Oliveira.



sábado, 20 de fevereiro de 2016

Gravações inéditas

Adriano a cantar "Trova do Vento que Passa" na Sé Velha em Coimbra e em roda de amigos com Manuel Alegre presente.

Testemunhos vários com José Niza, Rui Pato​, os filhos Isabel e José Oliveira, Arnaldo Trindade, Manuel Alegre...

in sicnoticias2007





sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Noite de Coimbra

O primeiro EP de Adriano Correia de Oliveira saiu em 1961 (Fado da Mentira/Balada dos Sinos/Canta Coração e o instrumental Chula).

Capa de António Portugal, António Portugal e Eduardo de Melo à guitarra e Durval Moreirinha e Jorge Moutinho à viola.


Adriano Correia de Oliveira

Adriano Maria Correia Gomes de Oliveira nasceu na cidade do Porto, nº 370 da Rua Formosa, a 9 de Abril de 1942, Filho de Joaquim Gomes de Oliveira (conhecido por Joaquim Trafegueiro) e de Laura Correia.

Com escassos meses de vida passou da margem direita para a margem esquerda do rio, passando a residir na Vila de Avintes - terra de agricultores, pescadores e panificação (a broa de Avintes) com longa tradição no associativismo e actividades culturais, nomeadamente o teatro."

"Vivia na Quinta de Porcas, onde ainda hoje se respira um ambiente marcadamente rural, entre videiras, cães domésticos e belas alamedas arborizadas com vista para o rio."

"Este é o sítio mais bonito do mundo", dizia Adriano."

"Adriano levava todos os amigos para a quinta (segundo Roberto Machado chegavam a juntar-se cerca de 30 pessoas), onde D. Laura, como excelente anfitriã, recebia os amigos, os familiares dos amigos... Aquela era a casa de todos, assim como vieram a ser mais tarde todos os lugares de Adriano - de todos."

"Após a instrução primária, que completou em Avintes, frequentou o Liceu Alexandre Herculano, no Porto, onde finalizou o curso do liceu, tendo-se revelado um excelente aluno.

Daqui:

http://www.avintes.net/adriano.htm

Adriano com a tia (do vídeo de Homenagem a Adriano da Casa do Povo da Longra)


com 10 anos (idem)


Adriano na casa da Quinta das Porcas (Avintes), com sua irmã e mãe (imagem do arquivo de Mário Correia)